"O Sonho só termina quando você deixa de acreditar em si próprio. "

Glauco Fernandes

Agenda Paroquial

Quarta-Feira
MAI 25

Missa Semanal

Local: Lar Geraldo de Freitas

Horário: 08:30 Hrs

MAI 25

Missa Semanal

Local: Capela Nossa Senhora das Graças

Horário: 19:30 Hrs

Quinta-Feira
MAI 26

Início da Missa com a Procissão

Local: Saída da Capela Santuário

Horário: 16:00 Hrs

MAI 26

Início da Missa com a Procissão

Local: Saída Capela N. Sra. das Graças

Horário: 16:00 Hrs

Sexta-Feira
MAI 27

Missa Semanal

Local: Capela São Francisco

Horário: 19:30 Hrs

Sábado
MAI 28

Missa Dominical

Local: Capela Nossa Senhora das Graças

Horário: 19:30 Hrs

Domingo
MAI 29

Missa Dominical

Local: Capela Santuário

Horário: 07:00 Hrs

MAI 29

Missa Dominical

Local: Igreja Matriz

Horário: 09:00 Hrs

MAI 29

Missa Dominical

Local: Igreja Matriz

Horário: 18:00 Hrs

MAI 29

Missa Dominical

Local: Igreja Matriz

Horário: 19:30 Hrs

25 de Maio - Santa Maria Madalena de Pazzi

Santo do Dia

Ver Mais

Santa Maria Madalena de Pazzi 25 de Maio

"Ela Muito Cedo Se Viu Chamada À Vida Religiosa E Queria Consagrar-Se Totalmente. Abandonou Tudo: Os Bens E Os Projetos Por Amor A Deus."

Aconteceu na Paróquia

Sexta-feira da Paixão & Encenação

Sexta-feira da Paixão & Encenação Por: Glauco Fernandes - Jornalista Na Igreja Católica, este dia pertence ao Tríduo pascal, o mais importante período do ano litúrgico. A Igreja celebra e contempla a paixão e morte de Cristo, pelo que é o único dia em que não se celebra, em absoluto, a Eucaristia. Por ser um dia em que se contempla de modo especial Cristo crucificado, as regras litúrgicas prescrevem que neste dia e no seguinte (Sábado Santo) se venere o crucifixo com o gesto da genuflexão, ou seja, de joelhos. No entanto, mesmo sem a celebração da missa, tem lugar, no rito romano, uma celebração litúrgica própria deste dia. Tal celebração tem alguma semelhança com a celebração da Eucaristia, na sua estrutura, mas difere essencialmente desta pelo facto de não ter Oração eucarística, a mais importante parte da missa católica. A celebração da morte do Senhor consiste, resumidamente, na adoração de Cristo crucificado, precedida por uma liturgia da Palavra e seguida pela comunhão eucarística dos participantes. Presidida por um presbítero ou bispo, paramentado como para a missa, de cor vermelha, a celebração segue esta estrutura.

Data:  25-03-2016

Local: Igreja Matriz

Quinta-feira Santa - Lava Pés

Quinta-feira Santa - Lava Pés Por: Glauco Fernandes - Jornalista Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que era chegada a sua hora de passar deste mundo ao Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim. Durante a ceia, como o Diabo havia já posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que traísse a Jesus, sabendo este que o Pai tudo pusera nas suas mãos, e que saíra de Deus e ia para Deus, levantou-se da mesa, tirou as suas vestes e, tomando uma toalha, cingiu-se; depois deitou água na bacia e começou a lavar os pés aos discípulos e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido. Chegando a Simão Pedro, perguntou-lhe este: Senhor, tu a mim me lavas os pés? Respondeu-lhe Jesus: O que eu faço, tu não o sabes agora, mas entendê-lo-ás mais tarde. Disse-lhe Pedro: Não me lavarás os pés jamais. Replicou-lhe Jesus: Se eu não te lavar, não tens parte comigo. Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, não somente os meus pés, mas também as mãos e a cabeça. Declarou-lhe Jesus: Aquele que já se banhou, não tem necessidade de lavar senão os pés, porém está todo limpo; e vós estais limpos, mas não todos. Pois ele conhecia aquele que o havia de trair; por isso disse: Não estais todos limpos. Depois de lhes ter lavado os pés, tomou as suas vestes e, pondo-se de novo à mesa, perguntou-lhes: Compreendeis o que vos tenho feito? Vós me chamais Mestre, e Senhor, e dizeis bem; porque eu o sou. Se eu, pois, sendo Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros;porque vos dei exemplo, a fim de que, como eu fiz, assim façais vós também.» (João 13:1-15)

Data:  24-03-2016

Local: Igreja Matriz

Quarta-feira Santa - Santos Óleos

Quarta-feira Santa - Santos Óleos Por: Glauco Fernandes - Jornalista A instituição da Eucaristia como rito memorial da nova aliança é certamente o aspecto mais evidente da celebração atual, que, aliás, justifica a sua solenidade como uma evocação “histórica” e figurativa do acontecimento realizado na última ceia. Nesta missa manifesta-se o mistério do sacerdócio de Cristo, participado pelos ministros constituídos em cada Igreja local, que renovam hoje seu compromisso ao serviço do povo de Deus. O bispo, cercado pelos outros sacerdotes, abençoa os óleos, que serão usados nos diversos sacramentos: o crisma (óleo misturado com perfumes), para significar o dom do Espírito no batismo, na crisma, na ordem; o óleo para os catecúmenos e o óleo para os enfermos, sinal da força que liberta do mal e sustenta na provação da doença.

Data:  23-03-2016

Local: Igreja Matriz de Miguelópolis

Nosso Padre

Pe. Evandro Antonio de Souza

Pároco

Natural de Miguelópolis-SP, nascido em 23/06/1971, foi ordenado sacerdote em 08/06/2001